sábado, dezembro 3, 2022
Anuncie na Rádio Costa Azul
InícioNotíciasAngra dos ReisProvedor da Santa Casa de Angra diz que ato de desapropriação não...

Provedor da Santa Casa de Angra diz que ato de desapropriação não foi amigável

Em mais um desdobramento da decisão da prefeitura de Angra dos Reis de desapropriar o prédio e assumir as operações da Santa Casa da cidade, o provedor da Irmandade da Santa Misericórdia, Francisco Almeida, disse hoje, dia 20, em entrevista ao programa Talk Show que a decisão do município foi política e que a Irmandade aceitou as condições de forma ‘não amigável’.

— Fomos surpreendidos com este anúncio de desapropriação. Até março, as conversas com a prefeitura eram na direção de uma gestão compartilhada, por meio de uma nova empresa. Fomos chamados à prefeitura e lá nos foi informado este modelo em que a prefeitura assumiu a maternidade por meio de decreto. Não é amigável — resumiu o provedor.

Além de Francisco Almeida, também esteve no estúdio da Costazul FM, o advogado Luiz Eduardo Rabha, consultor jurídico da mantenedora do hospital. Ele chamou de ‘pifia’ a proposta de indenização oferecida pelo município pelos bens e o imóvel da Santa Casa. O município ofereceu R$ 19 milhões pelos bens, descontando cerca de R$ 4 milhões em ‘benefícios’ feitos no prédio durante o período de funcionamento do Centro de Referência para a Covid-19. Para o advogado, os bens teriam valor muito mais alto que isso.

Sobre o pagamento dos ex-funcionários que, segundo o provedor, a Santa Casa foi obrigada a demitir para que fossem readmitidos na Organização Social que atualmente gere o prédio, a Irmandade informou que há um caminho para desbloquear parte dos recursos depositados em juízo e fazer os pagamentos nos próximos dias. Se queixou, no entanto, de a prefeitura não ter feito, segundo ele, o último repasse previsto na parceria com o município, onerando ainda mais a entidade filantrópica.

O advogado Luiz Eduardo informou que tanto o questionamento a respeito do valor da indenização proposta pela prefeitura como os demais passivos com funcionários e fornecedores são alvos de ação judicial movida pela Irmandade em questionamento aos atos da prefeitura de Angra.

Desde a segunda-feira, dia 18, o Talk Show repercute a causa dos ex-funcionários demitidos da Santa Casa em busca de receberem suas indenizações trabalhistas. Escute esta e outras entrevistas sobre o caso em nosso canal de podcasts.

RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

MAIS LIDAS

SIGA-NOS

26,000FãsCurtir
13,300SeguidoresSeguir
1,420InscritosInscrever
Anuncie na Rádio Costa Azul
X