quarta-feira, julho 24, 2024
Com Beto Carmona
InícioDestaquesLula afirma na OIT: "Não há democracia com fome"

Lula afirma na OIT: “Não há democracia com fome”

O presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, destacou hoje a necessidade urgente de preservar o bem-estar da população mundial, enfatizando que isso está intrinsecamente ligado à proteção do meio ambiente e à promoção de relações equilibradas entre capital e trabalho para reduzir as desigualdades sociais. Suas declarações foram proferidas durante a sessão de encerramento do fórum inaugural da Coalizão Global para a Justiça Social, parte integrante da 112ª Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O evento, organizado pelo diretor-geral da OIT, Gilbert Houngbo, contou com a participação de Lula, que assumirá a co-presidência da coalizão ao lado de Houngbo. Em seu discurso, o presidente brasileiro alertou para os desafios crescentes que exigem uma atenção renovada à agenda global de desenvolvimento sustentável até 2030, especialmente no que diz respeito ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 8, que visa promover o trabalho decente para todos.

Lula ressaltou que a informalidade, a precarização do trabalho e a persistente pobreza são questões críticas que precisam ser enfrentadas com urgência. Ele apontou um aumento significativo no número de pessoas em empregos informais, que atualmente ultrapassa os 2 bilhões, e sublinhou as disparidades de gênero, raça, orientação sexual e origem geográfica como agravantes desses problemas.

O presidente brasileiro também defendeu uma revisão nas políticas globais, enfatizando a necessidade de uma “nova globalização com uma face humana”. Ele criticou a concentração de riqueza, mencionando que um pequeno grupo de bilionários detém uma quantidade de recursos que poderia resolver muitos dos desafios enfrentados pelos países em desenvolvimento, incluindo as mudanças climáticas.

Além disso, Lula enfatizou a importância da transição ecológica e digital, argumentando que ambas devem ser conduzidas de maneira inclusiva para garantir que todos os países e indivíduos se beneficiem igualmente dos avanços tecnológicos.

O presidente brasileiro encerrou seu discurso reafirmando o compromisso do Brasil com a justiça social e a igualdade global, destacando o lançamento da Coalizão Global para a Justiça Social como um marco significativo nessa direção. A coalizão, lançada no ano passado e que já conta com mais de 250 membros, visa promover uma transição justa e sustentável para todos, além de pressionar por mudanças nas instituições globais para garantir uma representação mais equitativa dos países em desenvolvimento.

A 112ª Conferência Internacional do Trabalho da OIT, que ocorre anualmente e reúne representantes dos 187 Estados-membros, continuará até o dia 14 de junho, com a participação ativa da delegação brasileira composta por membros do Executivo, Legislativo, Judiciário e representantes da sociedade civil e sindicatos.

RELACIONADAS

MAIS LIDAS

SIGA-NOS

26,000FãsCurtir
13,300SeguidoresSeguir
1,420InscritosInscrever
Sorteio de Bonés no APP
X